O patrimônio registrado é formado pelos bens culturais imateriais reconhecidos formalmente como Patrimônio Cultural do Brasil. Esses bens caracterizam-se pelas práticas e domínios da vida social apropriados por indivíduos e grupos sociais como importantes elementos de sua identidade. São transmitidos de geração a geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, sua interação com a natureza e sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade. Contribuem, dessa forma, para promoção do respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

- Arte Kusiwa – Pintura Corporal e Arte Gráfica Wajãpi
- Caboclinho
- Carimbó
- Cavalo-Marinho
- Círio de Nossa Senhora de Nazaré
- Complexo Cultural do Bumba meu boi do Maranhão
- Fandango Caiçara
- Feira de Campina Grande
- Feira de Caruaru
- Festa de Sant´Ana de Caicó
- Festa do Divino Espírito Santo de Paraty
- Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis

A Constituição Federal Brasileira, em seu artigo 216, prevê o reconhecimento dos bens culturais imateriais como patrimônio a ser preservado pelo Estado em parceria com a sociedade. O artigo define, também, que o poder público – com a colaboração da comunidade – promoverá e protegerá o Patrimônio Cultural Brasileiro, por meio de inventários, registros, vigilância, tombamento e desapropriação, e de outras formas de acautelamento. Para criar instrumentos adequados ao reconhecimento e à preservação de bens culturais imateriais, o governo brasileiro promulgou o Decreto nº 3.551, de 4 de agosto de 2000, que instituiu o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial e criou o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial (PNPI), executado pelo Iphan.

- Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio em Barbalha
- Festa do Senhor Bom Jesus do Bonfim
- Festividades do Glorioso São Sebastião na Região do Marajó
- Frevo
- Jongo no Sudeste
- Maracatu de Baque Solto
- Maracatu Nação
- Matrizes do Samba no Rio de Janeiro
- Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas
- Modo de Fazer Renda Irlandesa
- Modo de Fazer Viola de Cocho

Os patrimônios registrados são os bens culturais imateriais reconhecidos formalmente como Patrimônio Cultural do Brasil. Esses bens caracterizam-se pelas práticas e domínios da vida social apropriados por indivíduos e grupos sociais como importantes elementos de sua identidade. São transmitidos de geração a geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, sua interação com a natureza e sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade. Contribuem, dessa forma, para promoção do respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

- Ofício das Paneleiras de Goiabeiras
- Ofício de Sineiro
- Ofício dos Mestres de Capoeira
- Produção Tradicional e Práticas Socioculturais Associadas à Cajuína no Piauí
- Ritual Yaokwa do Povo Indígena Enawene Nawe
- Roda de Capoeira
- Romaria de Carros de Bois da Festa do Divino Pai Eterno de Trindade
- Rtixòkò: Expressão Artística e Cosmológica do Povo Karajá

Os bens culturais imateriais passíveis de registro pelo Iphan são aqueles que detém continuidade histórica, possuem relevância para a memória nacional e fazem parte das referências culturais de grupos formadores da sociedade brasileira. As inscrição desses bens nos Livros de Registro atende ao que determina o Decreto 3.551.

- Saberes e Práticas Associados aos Modos de Fazer Bonecas Karajá
- Samba de Roda do Recôncavo Baiano
- Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro
- Tambor de Crioula do Maranhão
- Tava, Lugar de Referência para o Povo Guarani
- Teatro de Bonecos Popular do Nordeste
- Toque dos Sinos em Minas Gerais